Em tempos de Coronavírus, o mundo inteiro está aprendendo grandes lições. O modelo de educação baseado em conteúdo com foco no vestibular está em xeque (será xeque-mate?). Modelos baseados na competição/escassez e que cria “castas” de acesso à educação não servem mais um novo mundo que está nascendo.

A internet está mostrando todo seu PODER de CONECTAR PESSOAS, levar CONHECIMENTO para todas as pessoas do mundo e permitir o surgimento de projetos COLABORATIVOS.

“É preciso uma aldeia inteira para educar uma criança” Provérbio Africano

Como muitos provérbios e pensamentos, na maioria das vezes fica apenas em um discurso bonito.

Porém, o mundo se tornou uma ALDEIA GLOBAL!


Aldeia global é um termo criado pelo filósofo canadense Herbert Marshall McLuhan. Ele tinha o objetivo de indicar que as novas tecnologias eletrônicas tendem a encurtar distâncias e o progresso tecnológico tende a reduzir todo o planeta à mesma situação que ocorre em uma aldeia: um mundo em que todos estariam, de certa forma, interligados.[1] A expressão foi popularizada em sua obras “A Galáxia de Gutenberg” (1962) e, posteriormente, em “Os Meios de Comunicação como Extensão do Homem” (1964). McLuhan foi o primeiro filósofo a tratar das transformações sociais provocadas pela revolução tecnológica do computador e das telecomunicações.

Segundo o filósofo, enquanto a imprensa nos destribalizou, os meios eletrônicos estão a nos retribalizar.[2] De acordo com esta visão, os meios eletrônicos estão a reconstituir uma tradição oral, pondo todos os nossos sentidos humanos em jogo. “A quantidade de informações transmitidas pela imprensa excede, de longe, a quantidade de informações transmitidas pela instrução e textos escolares”, explica McLuhan, em seu livro Revolução na Comunicação.[3][4]K

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Aldeia_Global


O vídeo abaixo mostra alguns números das olimpíadas e copa do mundo com BILHÕES de espectadores.

Voltando para EDUCAÇÃO….

Tião Rocha – um dos maiores educadores brasileiros – que tive o prazer de conhecer em uma roda de conversa no Amorim Lima, conta a história de quando foi para Moçambique para ajudar e acabou saindo com uma das maiores lições da sua vida.

Em tempos de Coronavírus, precisamos encontrar muitos SEUS ANTÔNIOS para CONVOCAR a ALDEIA GLOBAL e as pessoas para despertarem os professores que estão em casa assistindo Netflix.

Almir Suruí e sua aldeia global

Tive o prazer de conhecer o Almir Suruí quando fui ministrar palestras em Cacoal/Rondônia. Tomei a liberdade de usar a foto para a frase e compartilho um trecho do texto no site da Aldeia Paiter Suruí.


Buscamos estabelecer uma relação harmoniosa e saudável com todas as pessoas que nos cercam e nos preocupamos com o futuro, não só do nosso povo, mas de toda a humanidade.

Estamos cientes de que a humanidade toda vive um momento muito grave, pela doença instalada no planeta em que vivemos. As conseqüências da forma irresponsável com que a humanidade tratou de explorar os recursos naturais da Terra estão causando e vão causar grandes danos para todos.

Entendemos que todos precisamos agir e contribuir para um futuro possível, se quisermos que a vida continue existindo na superfície do nosso planeta. Para isto conclamamos a todos, autoridades, empresários, líderes globais, ong´s de todo mundo e pessoas comuns, a nos unirmos e refletirmos urgentemente sobre os problemas já instalados e os que estão por vir, e buscarmos um novo modelo de sociedade e de desenvolvimento, que privilegie a vida em todas as suas formas.

É necessária a contribuição de todos. Os esforços das comunidades nacional e internacional necessitam verdadeiramente se unificar e agir mais rapidamente, pois a natureza não irá esperar as decisões humanas.

Os conhecimentos científicos, as ações políticas, o compromisso dos poderes judiciários, a correta aplicação dos recursos públicos e corporativos e a atitude individual de cada pessoa, necessitam ser colocados à favor da vida e por isto conclamamos todos a uma reflexão conjunta, na esperança de que dias futuros ainda sejam possíveis para todos nós.

Almir Narayamoga Surui
Líder Maior do Povo Paiter Surui

Fonte: http://www.paiter.org/parlamento_surui


Você vê o copo meio cheio ou meio vazio?

Tião Rocha idealizou o projeto da Escola debaixo de um pé de manga. Sua crença é que se aprendermos a olhar o COPO MEIO CHEIO, aprenderemos a ver sempre os TALENTOS das pessoas e como trabalhar com a DIVERSIDADE em PROL da educação.

http://www.cpcd.org.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *