Fracassos e vitórias – Reflexões

Todos nós temos medo do FRACASSO, correto? Fui pesquisar a origem das palavras e tive uma grata surpresa.

Fracasso deriva de uma mistura feita no Italiano das palavras latinas frangere, “quebrar” e quassare, “sacudir, chacoalhar, bater repetidamente” Fonte: origemdapalavra.com.br

Nossa sociedade tem a cultura de desvalorizar os “fracassados” e valorizar os “vitoriosos”. Porém, o que é VITÓRIA para você?

Ganhar muito dinheiro? Ser o mais bonito? Tirar nota 10? 

A origem da palavra FRACASSO pode ser interpretado como aqueles momentos de maior APRENDIZADO que a vida nos traz quando não estamos alinhados com nosso PROPÓSITO.  Pensei até em uma nova definição de FRACASSO:

“Fracassos são chacoalhões que a vida nos dá para DESPERTARMOS.” @marciookabe

Lembro da história “MATE SUA VAQUINHA” que nos faz pensar quando devemos DESAPEGAR de determinadas coisas que fazemos e ter CORAGEM DE ASSUMIR novas atividades.

Um ditado japonês diz:

Nanakorobi Yaoki: Se cair 7 vezes, levante 8!

Dia 1/Maio/2019 vai completar 25 anos da morte de Ayrton Senna. Lembro que chorei de verdade quando Ayrton morreu, mas hoje vejo que seu legado está VIVO, principalmente com o trabalho do Instituto Ayrton Senna que faz um trabalho incrível para EDUCAÇÃO.

Ele representa a melhor imagem que tenho da palavra VITÓRIA. Vale a pena ver a vitória em Interlagos quando ele venceu apenas com a 6a marcha.

Em 2018, recebi um e-mail da Academia de Filmes me convidando para participar do processo seletivo da Batalha Makers Brasil que é o primeiro reality show da cultura maker do mundo. Fiquei surpreso com o convite e acabei sendo um dos 10 selecionados para participar da competição da Discovery.

Confesso que não sou muito bom em cortadora laser, eletrônica e impressão 3D, mas AMO FAZER ORIGAMI. Esse talento que decidi assumir “Quando completei 50 anos” acabou me levando a ser selecionado para aparecer na TV como Origamista e Educador Maker.

O primeiro episódio já aconteceu e foram duas provas: uma individual e outra em grupo. Na prova individual tivemos que construir uma cadeira baseada em um projeto pré-moldado. Decidi fazer uma cadeira de madeira com técnicas de origami, pois um dia antes havia dobrado duas cadeiras de origami porque tive a intuição que a primeira prova seria uma cadeira.

Decidi fazer a cadeira e na segunda prova que era do Pinball, acabei sendo o primeiro eliminado da Batalha Makers Brasil. No momento da decisão, eu estava SERENO porque tinha a sensação de MISSÃO CUMPRIDA. Lógico que parte de mim teve a sensação de “fracasso”, mas logo percebi que na realidade foi uma grande VITÓRIA. Tive sérios problemas com ORGULHO e EGO ao longo de muitos anos, mas depois que decidi me dedicar ao ORIGAMI encontrei o meu IKIGAI (Segundo os japoneses é a RAZÃO DE VIVER).

Meu foco não era ser o “vencedor” da Batalha Makers Brasil, meu objetivo era mostrar a minha paixão/missão com o ORIGAMI e Educação Maker. Além disso, fiz grandes amizades, em especial com o Deriel Huber que é o “homem do aço”. Uma amizade INUSITADA como algumas pessoas comentaram, afinal viemos de mundos completamente diferentes. Eu nasci em Salvador, tenho 50 anos, casado e pai de 2 filhos e trabalho com PAPEL. O Deriel é do Rio Grande do Sul, tem 25 anos, é solteiro e trabalha com AÇO.

Ao longo dos meses depois das gravações fiz ótimas amizades. Uma delas também merece destaque que é o Anderson da Orange Maker que podem conhecer no vídeo que gravamos no seu incrível espaço maker em Cotia.

Gostaria de te propor uma reflexão? Quais são seus últimos “FRACASSOS”?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo